terça-feira, 9 de março de 2010

Penas e Desgostos




Ao fim dos tempos,
quando tudo adormece,
chacais correndo em fúria,
sobre o mundo em prece.

Almas sofrem perdidas,
sem lei e sem rumo,
esperanças vãs esquecidas,
em nevoeiro e fumo.

Onde está Tua  fé,
perdida na dor,
volta amigo que fostes,
volta para o Teu Amor.

Deixei de sorrir,
de falar e de mexer,
quieta assim espero,
o mundo apodrecer.

Neste mundo de negridão,
avança amigo e dá-me a Tua mão...


Manuela


D.M Graphics



D.M Graphics

5 comentários:

Sônia Silvino disse...

Oi, amiga!
Vim curtir este teu espaço.
Bjkas!

Maria Luisa Adães disse...

Manuela

Desculpa a ausência, motivos de saúde, mas tenho muitas saudades tuas.

A 1ª. pessoa que fez o favor de me modificar o m/ 1º. blogs do sapo,
sabes que me fez?
Removeu o blogs e quando o fui procurar, ele tinha desaparecido.

Sente a m/ aflição na altura.
Era isto que te queria contar!

Beijos e desculpa,

maria Luísa

Maria Luisa Adães disse...

Manuela

Há um blogs de uma brasileira

"Porta Aberta" , ela escreveu-me, mas através da foto e de tudo quanto encontrei, eu não descobri o blogs dela.
No entanto ela aderiu-te com o nome

ManuelaII e eu pergunto, dizes como a posso encontrar? Agradeço.

Acerca deste poema, está muito bom,
mas é, excepcionalmente, triste.

Porquê manuela? Desculpa o porquê!

Beijos,

Mª. Luísa

poetaeusou . . . disse...

*
*
São os mordomos
Do universo todo
Senhores á força
Mandadores sem lei
Enchem as tulhas
Bebem vinho novo
Dançam a ronda
No pinhal do rei
Eles comem tudo
Eles comem tudo
.
in-zeca,
,
conchinhas,
,
*

Vampira Dea disse...

Palavras fortes sem perder a beleza