sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Deixo-te ir



Deixo-te ir,
Mesmo que tudo se acabe.
Mesmo que tudo desapareça
Prefiro sofrer para sempre
Do que sentir que sofres
Do que sentir que me queres
Impossível esta paixão
Impossível esta certeza
De tudo ser em vão
Até a tua presença
Obrigado pelos momentos
Felizes e menos bons
Obrigado por tudo o que me deste
Deixo aqui a minha angústia
De sofrer a cada minuto
Pensando que tudo seria meu
Pensando que eu era tudo
Afinal engano meu
Julgando que me amavas
Apenas por ser eu
Engano doce engano
Agora vejo mas recuso
Sou apenas um intruso
Manuela ( 01-2012)

2 comentários:

ESTEVE disse...

PRECIOSO
SALUDOS

Manuela disse...

Obrigado, volte sempre.
Manuela