sábado, 5 de julho de 2014

Abandono



Perdi-me nas ruas perdidas
Sem rumo nem pressa
Um fado da minha sina
Toca naquela Travessa
Rindo à toa
Chorando sem saber.
Caiem as lágrimas
Sem notar,
Que chora o meu coração
Dentro está a perdição
A loucura, do amor
Sem saber onde fica a dor
Neste meu corpo já esquecido
Abandonado
Perdido
Nada mais te posso dizer
Apenas que ainda te tenho bem querer
Muito te amo e adoro
E por ti apenas choro
Quando a tua lembrança vem
Tomara que em ti também
As lembranças esquecidas
Tomassem rumo, tomassem vida
E tornarias ao meu regaço
Que de tanto amar
Espera com cansaço

Poetisa das Trevas

2 comentários:

A.S. disse...

Tudo que tiver que acontecer... acontecerá no tempo exacto!...

Beijo,
AL

Manuela Cardoso disse...

Obrigado pela sua visita A.S. abraço