sábado, 5 de julho de 2014

Pomba Escarlate

Eu não pertenço aqui
Sou de outro além
Longe, distante de tudo
Nada igual a este lugar
Nem o ar que se respira
Tudo roda e gira
Como um turbilhão sem fim
Morreríeis se fossem lá
Como eu morri também
Mas fui mandada embora
Para aqui voltar
E tentar fazer o que ninguém conseguiu
Mostrar que existe outros lugares
Que existe fé em cada alma
Que o amor é uma chama eterna
Que arde mas que acalma
Dá paz luz e cor
Contudo aqui só existe a dor
E lá retornei a este mundo
Mas vejo que de nada vale
Voltarei um dia ao outro lado
Que por mim chama e grita
E serei uma pomba escarlate
Que voa no rubro do céu
Vermelho e ocre
Retorno á minha pátria
Em que nasci célula
Errante, mácula
Aqui pouco recebeu
Mas muito aprendeu
E por isso também
O meu ser renasceu

Poetisa das Trevas

4 comentários:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Difícil te ver por aqui, Manu. Fico feliz. Gostei muito do seu poema.
Beijos,
Renara

Manuela disse...

Sim desde que aderi ao facebook deixei tudo para trás, mas estou a tomar o gosto novamente e deixei tantos amigos aqui beijinhos Renata

POETA CIGANO disse...


Querida amiga e poetisa Manuela ..!!!

Senti-me honrado com mais uma sua presença Em meu blogue, com o seu carinho de sempre. Lindo Poema.Gostei.
Passando para retribuir, deixar o meu abraço e Carinho, desejando-lhe um lindo dia e maravilhosa
Semana.
Que a paz, o amor e a felicidade, sejam constantes Em seu coração.
Beijos de luz !

POETA CIGANO – 07/07/2014

http://centelhaspoeticas.blogspot.com

“Meus Sonhos e Devaneios Poéticos”

A.S. disse...

Lindo!...

A vida é um permanente renascer Manuela!...

Beijo,
AL