quarta-feira, 27 de maio de 2009

O Sal

Desencontro total, almas em ruptura.
Sentindo na boca o sal da amargura.
Pleno de lágrimas está o ser,
A cor da aura lentamente vai morrer...


Manuela

desligue a musica carregando em pausa na barra do lado

Foto digital Olhares.com

4 comentários:

A.S. disse...

Manuela

As tuas palavras nascem molhadas no marulhar negro da noite, por entre pétalas de sombra, até se perderem no segredo dos minutos...
A vida é mem mais que palavras! São efectos, emoções, mar, sol, amanhecer, sentir, amar...

quero ver-te sorrir!...

Lidiany disse...

Oi Manuela, vim conhecer teu espaço que gostei muitissimo, bem diferente e interessante..muito bom mesmo. Obrigada vc por ter ido em meu blog, pois nem todos que comentamos lá nos aniversários do Palacio fazem isso, fiquei feliz pelo teu carinho e espero podermos ter mais contato de agora em diante caso vc queira.Parabéns pelo blog..um especial fim de semana pra vc. Bjos

Oliver Pickwick disse...

Desconhecia este seu lado de poetisa. Gostei tanto deste, quanto do poema acima.
Mas, como você mesmo diz que este blogo refere-se ao seu lado mais obscuro, não me surpreendi tanto assim.
Estive em sucessivas viagens por conta de trabalho, por isso não apareci antes.
Um beijo!

Marina Nunes Brito... disse...

Manuela! Minha amiga poeta e artesã!
Como você escreve bem,com tanto sentimento!
Olha estou encantada com tuas poesias de primeira qualidades!
Amiga você é uma poetisa!
Sabe amiga, você tem grande talento!
parabéns!esse blog fico lindo!
É o seu estilo, de escrita também!
Bejinhos amiga!