segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Coração de Lama


Os meus passos são de vidro,
descalça sem me partir,
Neste meu caminho o destino,
Faz gemer faz tenir.


Cruel vida que mostras,
Cruzes , pedras e desgostos,
Vida triste que tu levas,
Lagrimas que correm no teu rosto.


O coração é de lama,
de tanto ser amassado,
já nem sangue derrama,
Já nem bate compassado.


Em mim respira o pranto,
em mim rasga o sofrer,
meu rosto mostra o espanto,
de viver e querer morrer.


Manuela

1 comentário:

Sonhadora disse...

Minha querida

Um poema que disse tanto ao meu sentir.

Em mim respira o pranto,
em mim rasga o sofrer,
meu rosto mostra o espanto,
de viver e querer morrer.


Beijinhos com carinho
Sonhadora