terça-feira, 20 de abril de 2010

Só Outra Vez


Só,... vou pela rua,
Sobre a calçada fria de pedras coloridas.
Cruzando a Travessa de casas esquecidas,
Subindo os degraus de uma escada perdida.

Já não sou eu que aqui estou,
Sou uma mulher estranha,
Poemas voam no vento,
 E ninguém os apanha.

A chuva no meu rosto cai em gotas,
Escondendo as lágimas de sal,
É loucura podem crer,
Amar demais faz-me mal.

O sal das minhas Lágrimas,
Criaram um lago  dentro de mim.
Sempre que te ouço no pensamento,
A minha esperança Sorri.

Quando  estiveres no silêncio da noite
E ouvires um rouxinol na madrugada
Sou eu na Solidão, pensando em Ti.
Chorando todo o tempo que perdi.


Manuela




Video Filme-Sofrimento de Amor 1973
(Aa Gale Lag Jaa )


Imagem Olhares.com

3 comentários:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Por quê? Se eu fui passear no

Jardim Celeste

Giroflê, giroflá.

Fui passear no Jardim Celeste,

Para te encontrar...



O que foste fazer lá ?

Giroflê, giroflá.

O que foste fazer lá ?

Para te encontrar...


Eu faria o sinal da cruz

Giroflê, giroflá.

Eu faria o sinal da cruz

Para te encontrar...

Amei de Amar!
E a eu e a Manu andamos de par em par!
Beijos só pra ti, blá blá blá!
Tenha uma tarde Bela Bela!
Renata

Sonhadora disse...

Minha querida Manuela
Lindissimo poema...nostálgico, mas lindo.


Quando estiveres no silêncio da noite
E ouvires um rouxinol na madrugada
Sou eu na Solidão, pensando em Ti.
Chorando todo o tempo que perdi.

faço minhas as tuas palavras...

Beijinhos e obrigada pela visita.

Sonhadora

vanderlei disse...

Nossa Manuela muito lindo seu blog e seus poemas parabens, voltarei sempre pra ler e curtir seu cantinho bjs na alma.
Vanderlei
Ops: venha me fazer uma visita ok bjs